Reservas do Flamengo empatam com o Volta Redonda no Maracanã

A decisão de levar a campo um time reserva, repleto de meninos, tinha um preço. E o que mais custou ao Flamengo diante do Volta Redonda foi o entrosamento no empate em 0 a 0, neste sábado, no Maracanã, pela Taça Rio. Porém, a arbitragem também teve seu papel, com pênalti não marcado e gol anulado no fim. Com o resultado, o rubro-negro soma oito pontos, atrás do Bangu, que tem nove, no Grupo B. Pode ser ultrapassado amanhã pela Cabofriense, que enfrenta o Vasco, em Cariacica.

Na terça-feira, a equipe volta a campo contra o Madureira, também no Maracanã, às 20h30.

A escolha do técnico Abel Braga, que desde o início da temporada já havia decidido mesclar os times a fim de poupar os jogadores em algumas partidas, também visa a dar oportunidades aos atletas mais jovens. Ou aos que ainda não se encaixaram no time titular.

Caso do uruguaio Arrascaeta, que ainda não mostrou todo o talento e não encontrou o melhor posicionamento no time. Diante do Volta Redonda, um dos times de menor expressão mais consistentes no campeonato, ele tentou ser o cérebro da equipe.

Foram dois bons passes no primeiro tempo, que deixaram os atacantes em condições de marcar. Numa delas, Uribe desperdiçou.

Em outra, Vitor Gabriel desviou e o goleiro Douglas defendeu. No rebote, Lucas Silva chutou na rede pelo lado de fora.

O desentrosamento na defesa ficou claro em furadas e espaços nas bolas aéreas. João Carlos e Marcelo tiveram boas oportunidades de marcar de cabeça.

Em cobrança de falta, o lateral Trauco quase marcou um golaço. Porém, o goleiro Douglas foi buscar a bola no ângulo, aos 15 minutos.

A primeira reclamação contra a arbitragem foi pedindo pênalti em lance que Rodinei cabeceou e a bola bateu no braço de Luiz Paulo dentro da área.

Abel resolveu pôr Diego em campo, no lugar de Lucas Silva. Ele e Renê foram os únicos titulares no banco de reservas.

A organização do time, no entanto, não melhorou. Mas a pressão pelo gol sim, principalmente com a falta de pernas do Vola Redonda. Primeiro o travessão impediu parou Uribe, em bonita cabeçada após cruzamento de Arrascaeta. Na sequência, foi a vez de Douglas não deixar a bola do uruguaio entrar.

Nos acréscimos, o goleiro até permitiu. Mas novamente a arbitragem errou. Diego arriscou de longe, Douglas deu o rebote e Hugo Moura só empurrou. Mas foi marcado impedimento.