Oscar Filho se inspira em Chaplin para ser "unicórnio" de Maisa no SBT

“Pequeno pônei” no “CQC”, Oscar Filho virou o “unicórnio” de Maisa Silva em sua estreia no SBT. O humorista é o único integrante fixo do “Programa da Maisa”, que estreou ontem na rede de Silvio Santos, e tem adorado trabalhar ao lado de uma artista adolescente quase nascida na televisão.

“Ela tem essa consciência de que estou aqui para ajudá-la no que for preciso, não para aparecer mais. É legal uma menina de 16 anos não ter essa vaidade. Como todo adolescente, ela quer acontecer, mas sabe como acontece, como é a televisão. É tão interessante ver essa maturidade em uma menina de 16 anos, é muito legal”, elogia.

No “Programa da Maisa”, Oscar atua como um “tutor” da apresentadora, uma espécie de primo mais velho, e ocupa a única parte “analógica” do programa, voltado ao digital. O cenário do humorista tem orelhões e TVs de tubo, itens tecnológicos dos tempos em que ele morava em Atibaia, interior de São Paulo.

“Com 16 anos, eu estava sendo atropelado por uma carroça. Não vi um cavalo vindo em cima de mim. Quando olhei, ele estava na minha cara. O cara queria me levar de carroça para o pronto-socorro, porque machucou meio feio. Daí a minha interação com cavalos”, brinca o “unicórnio”.

Gabriel Cardoso/SBT
Oscar Filho no “Programa da Maisa” Imagem: Gabriel Cardoso/SBT

Charlie Chaplin

Durante a apresentação do programa aos jornalistas, Oscar foi alvo de piadinhas sobre sua altura –é quase do mesmo tamanho de Maisa–, mas outro baixinho o inspira para trabalhar com uma adolescente: Charles Chaplin. O humorista buscou referências do ídolo Carlitos para atuar no programa.

“Sempre gostei muito de humor físico e do Chaplin. Tenho uma coisa meio circense, meio palhaço, que tem a ver com a criança e o adolescente, apesar de fazer stand-up comedy, um tipo de humor muito mais adulto. O que eu gostava no Chaplin é que ele conseguia se comunicar com qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, fazendo o humor físico dele. Também sinto isso, é uma coisa em que acredito na comunicação e na arte”, explica.

Embora seja ex-“CQC”, Oscar Filho nunca parou de trabalhar após o fim do programa, em 2015. Ele participou dos programas “Tá no Ar”, da Globo, e “Xilindró”, do Multishow, e competiu no reality “Dancing Brasil”, apresentado por Xuxa Meneghel na Record. E também viajou muito. Ele atualiza um perfil no Instagram com fotos em países como Argentina, Escócia, Chile, Noruega, Portugal, Bolívia e Peru.

“Sempre viajo. Nunca tinha saído do país até os 35 anos.Pensava: ‘O mundo é tão grande, por que estou aqui?’. Comecei a viajar por tudo quanto é lugar. Já era ‘velho’ quando vim para São Paulo pela primeira vez. Conheci o Rio com mais de 18, mas as fotos são só um hobby”, conta.