O Glorioso São José

Pe. João Henrique Corrêa

O tempo da quaresma é um tempo de penitência, abstinência e sobriedade. Na vida pessoal vivemos um maior recolhimento, fazemos alguma renúncia, praticamos jejuns. Na liturgia não rezamos o hino de louvor (Glória a Deus nas alturas), nem cantamos “aleluia”, nem ornamentamos a Igreja com flores. Mas no meio da quaresma há uma exceção: a solenidade do glorioso São José, no dia 19 de março. Este dia é solenidade, este dia é festa para toda a Igreja, neste dia não fazemos penitência – isso mesmo, o dia de São José não é dia de penitência, mesmo estando no meio da quaresma.
Lemos nos primeiros trechos no Evangelho que Deus tinha um plano especial para ser realizado e contava com a Virgem Maria para que a Encarnação de seu Filho Jesus acontecesse. Mas também, em seus desígnios, Deus também previa um papel importante a São José:
“A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo. Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: ‘José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados’. Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: “Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”. Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado, e aceitou sua esposa.” (Mt 1, 18-24).
Respondendo ao chamado de Deus, São José tornou-se o Pai adotivo de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Patriarca da Sagrada Família. Muitos papas já afirmaram que, depois da Virgem Maria, São José é o maior de todos os santos.
Outros grandes da Igreja também já testemunharam seu valor, como, por exemplo, Santa Teresa d´Ávila, em seu famoso Livro da Vida. No sexto capítulo, a santa diz que tem uma grande devoção por São José e que nenhum dos seus pedidos a ele jamais foi negado. Não somente isso, ela afirma que São José é o mestre da vida interior e que se alguém não sabe rezar ou não tem um diretor espiritual, deve a ele recorrer, pois ele ensinará. Ora, essa afirmação vinda da doutora mística possui um peso muito grande.
A Solenidade de São José é um dia especial, é o dia do pai adotivo de Jesus, o homem que recebeu de Deus a missão de proteger e nutrir os bens mais preciosos de Deus: Jesus e Maria. Sendo ele justo e servo tão fiel, cumpriu com dedicação a missão que Deus lhe confiou. E como ele foi tão bom para cuidar do Filho de Deus, a Igreja confia ao seu cuidado e proteção todos os filhos de Deus que Cristo veio unir a si. Por isso são José é aclamado como padroeiro de toda a Igreja.
Na Paróquia São José Esposo celebraremos essa Solenidade em um tríduo: Dia 17 de Março, Santa missa 18:00h; Dia 18 de Março, Santa Missa 19:30h; e Dia 19 de Março, Santa Missa e procissão luminosa às 19:30hs.

(*) Pe. João Henrique Corrêa é pároco na Diocese de Guiratinga-Rondonópolis.

image