Juiz reprova política de Trump contra concessão de visto a jovem vulnerável

Imigrantes ilegais com menos de 21 anos de idade anteriormente recebiam regularmente o que é conhecido como Status Especial de Imigrante Juvenil, o que lhes permitia obter um green card

Um juiz federal decidiu na última sexta-feira (15) que o governo Donald Trump não cumpriu a lei ao negar o processo para obtenção de green card, que garante residência permanente nos EUA, a jovens imigrantes ilegais abusados, abandonados e negligenciados no estado de Nova York.

Imigrantes ilegais com menos de 21 anos de idade anteriormente recebiam regularmente o que é conhecido como Status Especial de Imigrante Juvenil, o que lhes permitia obter um green card. No início do ano passado, as autoridades federais de imigração começaram a negar esse status aos imigrantes de 18 a 20 anos.

Após a mudança, advogados da Sociedade de Assistência Jurídica e escritório de advocacia Latham e Watkins LLP entraram com pedido de status em ação coletiva, num processo que questionava o que eles disseram ser uma abrupta mudança política. Um dos requerentes foi agredido por parentes no Haiti. Outro foi morar com a família nos EUA depois de receber ameaças de gangues em El Salvador.

Leia Também

Na decisão da última sexta-feira, o juiz distrital John Koeltl disse que tal mudança de política deve vir do Congresso, não das autoridades de imigração. Ele concedeu o status aos requerentes e instruiu os advogados a propor maneiras de implementar sua decisão.

Beth Krause, advogada da Sociedade de Assistência Jurídica, disse que a decisão dá a seus clientes e a outros jovens um caminho para a residência permanente nos EUA. “Isso ajudará potencialmente milhares de crianças em Nova York a regularizar seu status”, disse.

A porta-voz dos Serviços de Cidadania e Imigração dos EUA não respondeu ao pedido de comentário. A agência disse anteriormente que suas políticas estão de acordo com as leis estaduais e federais.