Em comparação a 2018, todas equipes melhoram tempos de classificação na Austrália. Menos Williams

Ver as imagens

O treino de classificação para o GP da Austrália, neste sábado (16), foi um dos mais surpreendentes dos últimos tempos: com boa variação, principalmente no meio do grid, de equipes avançando para o Q3, além de impossibilitar a indicação de qualquer tipo de superioridade – tirando a Mercedes, com a dobradinha na primeira fila. 

Prova disso é que nove equipes conseguiram melhorar sua volta mais rápida em relação há um ano, na abertura da temporada 2018. A Alfa Romeo, com Kimi Räikkönen, é que foi mais além: melhorou em 2s242 o 1min24s556 que Marcus Ericsson fez em 2018, sem passar do Q1.

Na casa do 1s ficaram Haas, McLaren, Racing Point e Toro Rosso: as três primeiras foram ao Q3 com ao menos um carro, enquanto a última parou na segunda parte da sessão, mas teve a principal evolução, em 1s896.

Ver as imagens

Lando Norris (Foto: AFP)

Enquanto até mesmo Mercedes – com o recorde de Lewis Hamilton – e Ferrari avançaram, o destaque negativo ficou com a Williams: George Russell piorou o tempo de Lance Stroll em 2018 em 0s130.

Menos mal para a equipe de Grove, nesta comparação, que o tempo de Robert Kubica, quase 2s superior ao de Russell, não entrou na soma. Confira abaixo:

 

2018

2019

Diferença

Alfa Romeo

1:24.556 ERI

1:22.314 RAI

-2.242

Toro Rosso

1:24.532 HAR

1:22.636 ALB

-1.896

McLaren

1:23.692 ALO

1:22.304 NOR

-1.388

Haas

1:23.187 MAG

1:21.826 GRO

-1.361

Racing Point

1:24.005 PER

1:22.781 PER

-1.224

Renault

1:23.532 HUL

1:22.562 HUL

-0.970

Mercedes

1:21.164 HAM

1:20.486 HAM

-0.678

Ferrari

1:21.828 RAI

1:21.190 VET

-0.638

Red Bull

1:21.879 VER

1:21.320 VER

-0.559

Williams

1:24.230 STR

1:24.360 RUS

+0.130