Cuba acusa EUA de dificultarem visitas de cubanos

HAVANA – Cuba acusou os Estados Unidos neste sábado de dificultar as viagens de seus cidadãos ao país para visitar parentes, ao reduzir a validade dos vistos concedidos de cinco anos para três meses. Os Estados Unidos informaram que reduzirão, a partir de segunda-feira, a validade dos vistos de turista para cubanos, alegando reciprocidade no tratamento destinado aos americanos que visitam a ilha.

“Desta forma, o governo dos Estados Unidos aumenta os obstáculos às visitas familiares e com outros propósitos”, criticou a Chancelaria cubana.

Os cubanos tinham acesso ao visto B2, com direito a várias entradas durante cinco anos. Atualmente, Cuba concede aos visitantes americanos uma entrada válida por dois meses, com possível prorrogação por um mês.

— Para estabelecer reciprocidade, o governo americano irá alinhar esta categoria de visto — informou a encarregada de Negócios Mara Tekach em um vídeo divulgado ontem pela embaixada nas redes sociais.

“Não é certo que esta decisão tenha sido tomada sob o critério de reciprocidade, uma vez que Cuba oferece todas as facilidades para que os cidadãos americanos, a partir de qualquer país, incluindo os Estados Unidos, obtenham o visto”, respondeu a Chancelaria cubana.

Segundo o governo cubano, a decisão representa um obstáculo adicional ao exercício do direito dos cidadãos cubanos de visitar seus parentes nos EUA. “Se os Estados Unidos desejam realmente aplicar a reciprocidade, deveriam abrir imediatamente seu consulado em Havana, retomar o processo de concessão de vistos, que interrompeu de forma arbitrária e injustificada há mais de um ano, e eliminar a proibição aos cidadãos americanos de viajarem livremente a Cuba”, assinalou.

Após a aproximação histórica e a reabertura de embaixadas durante os governos de Barack Obama e Raúl Castro, a relação bilateral regrediu com a chegada de Donald Trump ao poder nos Estados Unidos. Ele suspendeu há mais de um ano a entrega de vistos em Havana, alegando “ataques acústicos” contra seus diplomatas, que foram reduzidos a uma representação mínima. Atualmente, os cubanos têm que solicitar visto para os Estados Unidos em outros países.