Cruzeiro perde, fica em segundo e encara Maringá; Minas, quinto, pega o Sesc-RJ

<i>(Foto: Divulgação/Cruzeiro)</i>
O Cruzeiro perdeu o duelo direto pela liderança contra o Sesi-SP e fechou a primeira fase da Superliga Masculina em segundo lugar. Com a derrota por 3 a 0, neste sábado, no Ginásio do Riacho, em Contagem, o time celeste foi ultrapassado pelo paulista, que ficou em primeiro. As parciais foram de 25/16, 30/28 e 25/21. O Minas foi ao Paraná e bateu o Caramuru, por 3 a 1 (25/15, 25/22, 21/25 e 25/22), terminando em quinto na classificação. 
Com a vitória contundente em Contagem, o Sesi-SP pulou para a liderança e chegou aos 56 pontos (20 triunfos e duas derrotas), deixando o Cruzeiro, com 54 (ganhou 19 e perdeu três), em segundo. Os paulistas terão pela frente o Itapetininga, que terminou em oitavo, com 32 (dez vitórias e 12 reveses), enquanto os celestes medirão forças nas quartas de final com o Maringá, sétimo (32 pontos – dez vitórias e 12 derrotas).
Com a vitória sobre o Caramuru, em Ponta Grossa, o Minas fez o seu papel na busca pelo G-4. O time mineiro chegou aos 39 pontos – 13 triunfos e nove derrotas -, mas não conseguiu ultrapassar o Sesc-RJ, que bateu o Vôlei Ribeirão por 3 a 1 (20/25, 25/14, 25/22 e 25/22), superou os minas-tenistas nos critérios de desempate, ficou em quarto lugar e vai encarar o próprio Minas nas quartas de final. 
<i>(Foto: Divulgação/Minas)</i>

Os playoffs das quartas de final estão definidos: 

Sesi-SP (1º) x Vôlei Um Itapetinnga (8º)
Cruzeiro (2º) x Maringá (7º)
Taubaté (3º) x Campinas (6º)
Sesc-RJ (4º) x Minas (5º)
As quartas de final serão disputadas em série de três partidas. Os times com melhor campanha poderão decidir em casa no terceiro e último confronto, se necessário. Nas semifinais e na final, os duelos serão em melhor de cinco jogos. 
Cruzeiro perde fôlego
O Cruzeiro não ofereceu resistência ao Sesi-SP, a não ser no segundo set, quando levou a disputa até o 30º ponto e foi superado em 30 a 28. Com as jogadas de ponta marcadas e sem muita efetividade dos centrais, o time celeste foi ‘engolido’ pelos paulistas, que sobraram em quadra. O oposto Alan terminou como destaque: 19 acertos (maior pontuador) e melhor da partida – recebeu o Troféu VivaVôlei. Do lado estrelado, o ponteiro Sander assinalou 15 pontos, seguido pelo oposto Luan. 
“Eles jogaram super bem taticamente, vieram com uma proposta firme, consistente. A nossa equipe tentou bastante, demoramos a fazer uma leitura melhor do jogo deles e infelizmente não apresentamos o nosso melhor voleibol. Mas não perdemos nada. Ainda temos muito a crescer. É o que eu falei com a molecada no final, agora é cabeça no lugar, fizemos o nosso melhor na primeira fase e é sangue nos olhos, porque agora é que vale”, disse o capitão celeste Filipe.

Minas faz o papel fora de casa
O Minas fechou a fase de classificação com vitória sobre o Caramuru no interior paranaense. O time minas-tenista controlou as ações e só se complicou um pouco no terceiro set. Mas logo retomou o domínio e fechou em 3 a 1, sem no entanto alcançar o objetivo de ficar em quarto lugar, diante do triunfo do Sesc-RJ sobre o Vôlei Ribeirão. O líbero Rogerinho, da equipe mineira, foi o melhor em quadra e recebeu o Troféu VivaVôlei.

Rebaixamento
A última rodada da Superliga Masculina também teve decisão na parte baixa da tabela. O Corinthians conseguiu escapar do rebaixamento ao vencer o lanterna São Judas em casa, no Ginásio do Parque São Jorge, por 3 sets a 0, com parciais de 25/19, 25/17 e 25/23. Com o triunfo do Timão, sobrou para o Caramuru, que amargou a queda para a Superliga ‘B’. 
Confira os resultados da Superliga Masculina 
Cruzeiro 0 x 3 Sesi-SP (25/16, 30/28 e 25/21)
Itapetininga 0 X 3 Campinas (22/25, 19/25 e 23/15)
Caramuru 1 X 3 Minas (15/22, 22/25, 25/21 e 22/25)
Taubaté 3 X 0 Maringá (25/22, 25/13 e 25/19)
Vôlei Ribeirão 1 x 3 Sesc-RJ (25/20, 14/25, 22/25 22/25)

Corinthians 3 x 0 São Judas (25/19, 25/17 e 25/23)