Após decisão polêmica do árbitro, Hannibal vence Roberts por finalização no UFC Londres

Claudio Hannibal venceu após árbitro paralisar luta com Danny Roberts no UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty ImagesClaudio Hannibal venceu após árbitro paralisar luta com Danny Roberts no UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Claudio Hannibal venceu após árbitro paralisar luta com Danny Roberts no UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Claudio Hannibal levou a vitória no UFC Londres neste sábado, mas a decisão do árbitro Kevin Sataki, que paralisou a luta aos 2m37 do terceiro round, indicando que o inglês Danny Roberts teria desistido verbalmente enquanto o brasileiro tentava um armlock, deixou o lutador da casa revoltado. Ele negou que tenha desistido da luta, válida pelo peso-meio-médio (até 77kg). A regra indica ainda que, caso o lutador simplesmente grite, o árbitro também pode encerrar o duelo.

– Ele me pegou numa chave de braço, estava apertada, mas todo mundo que me conhece sabe que eu ia escapar. Infelizmente o árbitro parou quando eu já estava saindo da posição. Eu gritei, estava doendo, mas ia lutar até o final. Mas tiro o chapéu para o Cláudio, ele foi bem – disse um emocionado Danny Roberts, que teve interrompida uma série de duas vitórias.

Hannibal, que não tinha nada com isso a essa altura, chegou à quarta vitória seguida em quatro lutas no Ultimate. O cartel do lutador goiano de 36 anos, multicampeão no jiu-jítsu, tem agora 13 vitórias e uma derrota.

– Este cara é duro, ontem ele me disse que ia me pressionar. Eu disse que não pressionaria. Foi muito duro. Dana White, dê um bônus de Luta da Noite para nós dois. Sou um lutador nato, não me importo em levar porrada. Vim da favela, de um lugar onde as pessoas atiram umas nas outras. Isso aqui dentro é diversão para mim – disse Hannibal, que ainda mandou suas condolências aos familiares das vítimas de execução na escola em Suzano-SP.

– Ele sentiu o braço e gritou, e a regra é clara: se você gritou, é um “verbal tap”. Ele gritou duas vezes. Eu queria finalizar de qualquer jeito, não quero ganhar por pontos, quero marcar gol! – completou Cláudio Hannibal em entrevista exclusiva ao Combate.

A luta

Claudio Hannibal tentava uma chave de braço contra Danny Roberts quando luta foi paralisada — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty ImagesClaudio Hannibal tentava uma chave de braço contra Danny Roberts quando luta foi paralisada — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Claudio Hannibal tentava uma chave de braço contra Danny Roberts quando luta foi paralisada — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Hannibal tomou a iniciativa no início da luta, apostando em chutes baixos para desestabilizar Roberts. Quando jogou o inglês no chão, o brasileiro deu joelhadas no rival e chegou à montada. Robert resistiu e conseguiu ficar por cima para socar o brasileiro em sequência nos 15 segundos finais do primeiro round.

Roberts acertou um cruzado de esquerda logo no princípio do segundo round, fazendo o brasileiro bambear, levantando o público. Hannibal retribuiu levando o adversário ao chão. Roberts foi advertido pelo árbitro por enganchar os dedos do pé na grade, mas não foi punido. Quando o inglês levou vantagem com outro cruzado em pé, Hannibal de novo o levou para o chão e tentou o estrangulamento. Mais uma vez o inglês escapou.

No início do terceiro round, Roberts acertou mais um cruzado de esquerda e caiu em cima de Hannibal, castigando-o com socos e cotoveladas. O brasileiro ficou com o rosto ensanguentado, mas mostrou flexibilidade e resistiu. Ao reverter a posição, o brasileiro tentou uma chave de calcanhar e depois partiu para a chave de braço. O árbitro encerrou a luta alegando desistência verbal, que Roberts negou veementemente. O inglês se agachou no canto do octógono e chorou, indignado. Do outro lado, Hannibal comemorava a vitória, mesmo sob vaias do público.

Leon Edwards bate Gunnar Nelson em decisão dividida

Leon Edwards x Gunnar Nelson UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty ImagesLeon Edwards x Gunnar Nelson UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Leon Edwards x Gunnar Nelson UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Depois deste sábado, no UFC Londres, o jamaicano naturalizado inglês Leon Edwards já soma sete vitórias seguidas na organização. Hoje, o lutador de 27 anos é o décimo colocado no ranking meio-médio (até 77kg), mas deve galgar alguns degraus depois da vitória por decisão dividida (29-27, 28-29, 29-28) contra o islandês Gunnar Nelson. O cartel de Edwards agora tem 17 vitórias e três derrotas.

No primeiro round do combate, Edwards tentou imprimir sua trocação encurtando a distância, mas Gunnar Nelson logo travou a luta na grande, mas o inglês respondia com joelhadas no clinche. O islandês conseguiu a queda e caiu por cima, mas Edwards devolveu a queda e ainda foi para as costas, golpeando o adversário enquanto isso.

Nos cinco minutos seguintes, os dois lutadores foram pouco efetivos, mas nos últimos segundos Edwards disparou uma cotovelada de esquerda que derrubou Gunnar Nelson. O inglês tentou acabar com a luta com uma chuva de socos no rival, mas Nelson sobreviveu por baixo. Para o último round, o islandês voltou disposto a tirar a diferença dos dois primeiros rounds, sempre buscando o jogo agarrado. Restando um minuto, Gunnar Nelson conseguiu colocar o rival de costas no chão, mas, mesmo montado, não conseguia ângulo nem para trabalhar o ground and pound nem tentar a finalização saindo numa chave de braço.

Dominick Reyes mantém invencibilidade

Dominick Reyes bateu Volkan Oezdemir em decisão contestada por torcida — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty ImagesDominick Reyes bateu Volkan Oezdemir em decisão contestada por torcida — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Dominick Reyes bateu Volkan Oezdemir em decisão contestada por torcida — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

A decisão foi sob vaias no UFC Londres neste sábado, mas foi o americano Dominick Reyes – oitavo do ranking – quem venceu o duelo com Volkan Oezdemir – sexto do ranking – no peso-meio-pesado (até 93kg). A vitória veio por decisão dividida dos juízes laterais (29-28, 28-29, 29-28), e manteve o americano invicto na carreira, agora com 11 vitórias no cartel e cinco triunfos no Ultimate. O suíço perdeu a terceira luta seguida.

Na primeira ação da luta, um chute alto de Reyes atingiu o rosto de Oezdemir, e um direto vazou a guarda do suíço. Foi quando Oezdemir passou a soltar mais o seu jogo. Andando para frente, o suíço conseguia botar a luta para baixo, mas sem mantê-la no chão. No fim dos primeiros cinco minutos, Oezdemir tentou uma blitz junto à grade, mas Reyes escapou bem.

No segundo round, Oezdemir chegou a provocar o rival dizendo onde ele deveria golpear. Reyes respondeu com chute baixo forte que desequilibrou o suíço. A esta altura, os dois já estavam cansados. Um direto de encontro de Oezdemir entrou e o suíço foi para cima, conectando uma boa joelhada. Reyes tentou cinturar e quedar, mas Oezdemir se defendeu bem e tentou nova blitz. Para o último round, Reyes mostrou mais gás e foi mais efetivo nos golpes, jogando chutes altos e um direto de esquerda de encontro no frontal de Oezdemir.

Nathaniel Wood aplica mata-leão em Quiñonez

Nathaniel Wood finalizou Jose Quiñonez no UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty ImagesNathaniel Wood finalizou Jose Quiñonez no UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Nathaniel Wood finalizou Jose Quiñonez no UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Nathaniel Wood fez a festa da torcida da casa numa luta dominante neste sábado, no UFC Londres. O inglês peso-galo (até 61kg) finalizou o mexicano Jose Alberto Quiñonez aos 2m46 do segundo round, através de um mata-leão. Esta foi a oitava vitória consecutiva do inglês, a terceira no UFC e a 16ª na carreira no MMA. Quiñonez sofreu sua terceira derrota na carreira e a primeira desde que perdeu a final do TUF América Latina.

No primeiro round, com um triângulo de mão invertido, Wood já quase finalizou o duelo com o mexicano, que mais pulava do que golpeava o adversário, mais preocupado com a movimentação. Wood voltou a colocar o adversário para baixo de novo no fim do round, mas sem finalizar. No segundo round, Wood logo encaixou um direto de direita que balançou o mexicano. Depois, o inglês colocou o rival no chão e rapidamente transitou para as costas e finalizou a luta, apertando o pescoço de Quiñonez até fazê-lo desistir.

Marshman bate Phillips em duelo de pouca ação

Jack Marshman venceu John Phillips por decisão unânime no UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty ImagesJack Marshman venceu John Phillips por decisão unânime no UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Jack Marshman venceu John Phillips por decisão unânime no UFC Londres — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC / Getty Images

Em duelo no peso-médio (até 84kg), Jack Marshman venceu John Phillips por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28) neste sábado no UFC Londres. Após a luta marcada por um ritmo lento dos dois lados entre os galeses, Marshman venceu e se recuperou da derrota na luta anterior. Agora, ele tem três vitórias e três derrotas na organização, e um cartel com 23 vitórias e oito derrotas.

No início da luta, um cruzado de esquerda de Phillips já marcou olho direito de Marshman. Depois, um cruzado de direita pegou no queixo de Marshman, que foi à lona. Phillips preferiu não tentar a blitz e deixou o adversário se levantar, e se manteve na dianteira no round. Nos rounds seguintes, os dois foram pouco efetivos na trocação, com muitos golpes no vazio. Marshman se aproveitou da movimentação sempre batendo na saída, conseguindo tocar mais no adversário.

Confira todas as lutas do evento:

CARD PRINCIPAL
Jorge Masvidal venceu Darren Till por nocaute aos 3m05 do R2
Leon Edwards venceu Gunnar Nelson por decisão dividida (29-27, 28-29, 29-28)
Dominick Reyes venceu Volkan Oezdemir por decisão unânime (29-28, 28-29, 29-28)
Nathaniel Wood finalizou José Alberto Quiñonez aos 2m46 do R2
Cláudio Hannibal venceu Danny Roberts por finalização aos 2m37 do R3
Jack Marshman venceu John Phillips por decisão unânime (29-28, 28-29 e 29-28)
CARD PRELIMINAR
Arnold Allen venceu Jordan Rinaldi por decisão unânime (30-26, 30-27 e 29-28)
Marc Diakiese venceu Joe Duffy por decisão unânime (triplo 30-27)
Saparbek Safarov venceu Nick Negumereanu por decisão unânime (29-26, 29-26 e 29-27)
Dan Ige venceu Danny Henry por finalização a 1m17s do R1
Molly McCann venceu Priscila Pedrita por decisão unânime (triplo 29-28)
Mike Grundy venceu Nad Narimani por nocaute técnico a 4m42s do R2

Assine o Combate Play e assista ao Combate em qualquer lugar — Foto: CombateAssine o Combate Play e assista ao Combate em qualquer lugar — Foto: Combate

Assine o Combate Play e assista ao Combate em qualquer lugar — Foto: Combate