Campeão com Felipão, Mancini fala do reencontro com o mestre no clássico São Paulo x Palmeiras

Vagner Mancini, técnico interino do São Paulo, vai reencontrar um personagem importante em sua trajetória no futebol: Felipão, treinador do Palmeiras. Os dois foram campeões da Libertadores no Grêmio, em 1995, como jogador e comandante, respectivamente.

O Choque-Rei deste sábado, às 16h30, no Pacaembu, pelo Paulistão, terá transmissão do ao vivo e exclusiva no canal Premiere para todo o Brasil, com narração de Cleber Machado e comentários de Mauricio Noriega e Ricardinho. O GloboEsporte.com faz tempo real.

Felipão e Mancini também venceram o Gauchão de 1995 pelo Grêmio — Foto: Foto: Julio Cordeiro/Agência RBSFelipão e Mancini também venceram o Gauchão de 1995 pelo Grêmio — Foto: Foto: Julio Cordeiro/Agência RBS

Felipão e Mancini também venceram o Gauchão de 1995 pelo Grêmio — Foto: Foto: Julio Cordeiro/Agência RBS

Mancini lembra com muito carinho daquela conquista pelo Grêmio. Mais ainda da importância de Luiz Felipe Scolari na caminhada até levantar o troféu mais importante da América do Sul.

– Tenho recordações maravilhosas daquele momento. Somos amigos até hoje. O Felipão contribuía muito para esse bom ambiente, pois sabia cobrar e incentivar na hora certa. Tínhamos um respeito e um carinho muito grande por ele. Ele foi fundamental a Libertadores toda, porque tinha o elenco nas mãos e sabia muito bem conduzir – comentou Mancini.

Vagner Macini está no comando do São Paulo até a chegada de Cuca — Foto: Marcos RibolliVagner Macini está no comando do São Paulo até a chegada de Cuca — Foto: Marcos Ribolli

Vagner Macini está no comando do São Paulo até a chegada de Cuca — Foto: Marcos Ribolli

Quando o técnico interino do São Paulo foi comandado por Felipão no Grêmio, o ex-volante ainda não pensava ser treinador. Mas evidentemente, mais adiante, o palmeirense virou referência.

– Aprendi muito com alguns treinadores que tive a felicidade de ter ao longo de 20 anos como profissional, e o Felipão foi um deles. A maneira como ele consegue tirar o máximo de cada atleta sem dúvida é o seu grande trunfo, aliado ao conhecimento tático – acrescentou o são-paulino.

Apesar da proximidade com Felipão e do fato de ter sido jogador do técnico do Palmeiras, Mancini não acredita que esses fatores possam ajudar na estratégia do clássico

– Não é o suficiente, já se passaram 24 anos, todos nós mudamos, evoluímos e aperfeiçoamos, não somente a parte tática e de treinamentos, como também nos tornamos seres humanos melhores. Vou dar um abraço carinhoso nele – completou o interino do Tricolor.

Palmeiras de Felipão tenta sua primeira vitória em clássicos na temporada — Foto: Célio Messias / Estadão ConteúdoPalmeiras de Felipão tenta sua primeira vitória em clássicos na temporada — Foto: Célio Messias / Estadão Conteúdo

Palmeiras de Felipão tenta sua primeira vitória em clássicos na temporada — Foto: Célio Messias / Estadão Conteúdo

A relação de Mancini com Felipão foi destacada pelo palmeirense em uma entrevista em 2010. Na época, Scolari deu dicas para o hoje são-paulino, então técnico do Guarani.

Felipão está atualmente em sua terceira passagem pelo Palmeiras. Na última terça-feira, na vitória sobre o Melgar, o treinador, que é o segundo que mais vezes comandou a equipe alviverde, completou 450 jogos pelo Verdão – o recordista é Oswaldo Brandão, com 585 partidas.