Vasco vence com imposição, laterais e pontas bem, mas preocupação no fim

O jogador do Vasco mais diretamente ligado à tragédia no Ninho do Urubu era Werley. E se, em meio a tanta dor, até ele foi a campo contra o Resende, o Vasco precisava confirmar o favoritismo, se impor e confirmar que o susto diante da Juazeirense… foi só um susto mesmo. E o time de Alberto Valentim fez tudo isso.

Yago Pikachu foi um dos destaques da equipe cruz-maltina nesta quarta-feira (Celso Pupo/Fotoarena)

A vantagem do empate num jogo de time grande contra time pequeno pode influenciar o andamento da partida. Mas isso só ficou latente após o primeiro gol, porque a facilidade de Lucas Mineiro para cabecear e abrir o placar é inconcebível em qualquer contexto. Melhor para o Cruz-Maltino.

A partir daí, sim, a possibilidade de jogar nos contra-ataques facilitou as ações de Maxi López, que sobrou no trabalho de pivô, e dos jogadores de lado de campo. Não à toa os laterais Cáceres e Danilo Barcelos, mais os pontas Yago Pikachu e Marrony, foram dos melhores do jogo.Cruzamento do lateral-direito, gol de Pikachu; Marrony, intenso, premiado com mais um para a conta. Além deles, Lucas Mineiro deu mais uma prova de importância no meio-campo vascaíno. Novamente onipresente, novamente com passes importantes.

Para além do rival a ser enfrentado, a atenção do treinador e da torcida se volta, agora, para Thiago Galhardo. Porque se o armador titular até aqui não puder jogar no domingo, como fizeram desconfiar as dores no fim do jogo desta quarta, Bruno César pareceu ainda estar sem ritmo. A coxa direita do camisa 8 dará resposta nos próximos dias.

Lance!