'A gente não pode perder tempo', diz pai de jovem baleado em São Gonçalo

“O período da emergência é importantíssimo. A gente não pode perder tempo. E precisa ser frio para não errar e agir na hora certa, sem deixar a emoção envolver o coração”. Este é o relato do médico Jorge Victor Doutel, pai do adolescente Daniel Borges Doutel Ferreira, de 17 anos, baleado ontem em uma tentativa de assalto na BR-101, na altura do bairro de Neves, em São Gonçalo. De acordo com o pai, apenas os dois estavam dentro do carro. Após os bandidos atirarem, o médico se lembrou do pronto socorro Dr. Armando Gomes de Sá Couto, onde trabalhou por cinco meses.

— Foi Jesus que me lembrou do pronto socorro central. Nesses casos, você não deve pensar se a unidade é boa ou ruim. Eu voei com ele para o pronto socorro, apesar de os bandidos terem atirado no motor do carro, que pifou assim que chegamos na frente da unidade hospitalar — relatou Jorge.

Ir à Região dos Lagos era um passeio de longa data. Os dois saíram de Jacarepaguá, onde moram, às 5h30, para aproveitar bastante o dia na praia. Por volta das 7h da amanhã, o carro deles foi abordado por aproximadamente 20 bandidos. O médico, que trabalha em São Paulo, afirmou não saber que a área de São Gonçalo estava perigosa.

— Fiquei sabendo ontem, no pronto socorro, que aquela região fica no meio de duas facções e que os bandidos costumam fazer arrastões após a saída do baile funk. Mas o objetivo deles era matar, eles não pediram a gente para saltar do carro. Quando o grupo de vinte bandidos saiu dos carros que estavam, bateram com a coronha na janela com o objetivo de quebrá-la, mas não conseguiram por causa da película à prova de impacto. Como não conseguiram quebrar, atiraram no garoto, algo proposital. A janela era transparente e eles nos viram. Eles não apontaram para mim em momento algum — diz.

Os bandidos deram três tiros no carro. Uma das balas acertou o olho esquerdo de Daniel, que foi atendido no pronto socorro e transferido para o Hospital estadual Alberto Torres no próprio sábado, onde passou por uma cirurgia. A direção do Hospital Estadual Alberto Torres informa que Daniel Borges Doutel Ferreira apresenta estado de saúde grave.

No início da tarde deste domingo, o adolescente recebeu a visita do pai, da mãe Valeria e da irmã Raquel. As duas, muito abaladas, não quiseram dar entrevista e passaram cerca de 20 minutos dentro do CTI com o rapaz. Como médico, o pai entrou na unidade intensiva para acompanhar o filho e elogiou a estrutura hospitalar.

— Não temos nenhum intenção de transferi-lo para o Rio. O hospital aqui é excelente. Aqui o governo realmente está dando uma atenção.

Jorge afirma que a família não tem a intenção de sair do Rio. Daniel vai cursar o 3º ano do ensino médio este ano e, de acordo com o pai, ainda não definiu a profissão que quer seguir.